photo/foto Mares do Sul

6 Oct./out. | 15:00
Venue/Local: Casa da Cerca – Centro de Arte Contemporânea

The Art of Losing | video dance/videodança
Companhia de Dança de Almada |PT|

Choreography and Original Music Score: São Castro
Direction: Cristina Ferreira Gomes
Performance: Beatriz Rousseau, Bruno Duarte, Francisco Ferreira, Joana Puntel, Luís Malaquias, Mariana Romão
Wardrobe: Nuno Nogueira
Image: Luís Graciano, Cristina Ferreira Gomes, André Barreto
Sound: Joana Girão
Production: Luiz Antunes
Installation: Sara Esteves
Colourist: Gonçalo Ferreira
Audio Post Production: João M. Santos

General Direction – Mares do Sul: Cristina Ferreira Gomes
Artistic Direction and general co-ordination – Ca.DA: Maria Franco
Rehearsal Direction – Ca.DA: Maria João Lopes

With thanks to Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas
Sponsored by Câmara Municipal da Marinha Grande

This project from Companhia de Dança de Almada, stems from an original idea by Luís Malachias and is based upon a creation by São Castro. Director Cristina Ferreira Gomes was invited following her exemplary work on contemporary dance and the affinity felt between creators and dancers.

Through the interdisciplinarity and complementarity of languages and methods, we’ve looked to create a new work focusing upon a topic of great depth, with the idea of raising awareness about environmental, social and cultural issues. Completely filmed in the forests of Pinhal de Leiria, it reflects on the importance of knowing how to deal with loss.

São Castro began studying dance in Balleteatro Escola Profissional de Dança e Teatro, (Professional dance and theater school) in Porto and has a degree from Escola Superior de Dança in Lisbon. She was part of Balleteatro Companhia, Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo and Ballet Gulbenkian. As a freelance dancer worked with Companhia Paulo Ribeiro, Companhia Olga Roriz, Companhia Clara Andermatt, Rui Lopes Graça, Sofia Silva, Benvindo Fonseca, Vasco Wellenkamp, Quorum Ballet / Daniel Cardoso, Tok’Art / André Mesquita, Ka Fai Choy, Tânia Carvalho, Luis Marrafa and Hofesh Shechter / Companhia Instável. She has created choreographies for Companhia de Dança do Algarve, Escola de Dança do Conservatório Nacional and recently for Projecto Quorum. Since 2011, in partnership with António Cabrita, she’s been developing the | ACSC | project, of which ‘Play False’ premiered in 2014, receiving the Prémio Autores 2015 in the Dança – Melhor Coreografia, (Dance – best choreography), category, awarded by Sociedade Portuguesa de Autores. In a co-production between Companhia Nacional de Bailado and Vo’Arte, she is the co-creater and performer of ‘Tábua Rasa’, along with António Cabrita, Henriett Ventura and Xavier Carmo. São Castro frequently gives lessons and leads workshops in contemporary dance. São Castro and António Cabrita are currently artistic directors at Companhia Paulo Ribeiro, for which they created “Um Solo para a Sociedade”, which made its debut in June 2017. Also in 2017, at the invitation of Luísa Taveira, António Cabrita and São Castro created Dido e Eneias for Companhia Nacional de Bailado.

Cristina Ferreira Gomes is the founder and director of the Mares do Sul production company. She is directing the documentary “Rio de Onor, Outro Tempo”, with the financial support of Instituto de Cinema e Audiovisual. Her debut as director was with the documentary entitled “Mulheres ao Mar”, financed by ICAM, for which she received the best newcomer award at the Caminhos do Cinema Português Festival in 2002. Her following documentary, “Carta de Chamada”, financed by ICAM, received an honourable mention for the best documentary and also the public’s choice award for best documentary at the Caminhos do Cinema Português Festival, 2006. The film was also included in the Panorama and Cinema Português Showcases in São Paulo and Rio de Janeiro the following year. It was also screened in the Cinema cycle about emigration, organized by Presidência da República in 2008 and in the Festival Filmes do Homem, 2016. Highlights from her director’s career include the documentary series “Portugal que Dança” – 17 episodes about creators in the area of ​​dance in Portugal; “Domingo à Tarde” – a film following the day to day life of a group of young Pakistani people who meet every Sunday afternoon to play cricket in one of the most emblematic places in Lisbon, Alameda D. Afonso Henriques; “Menina Limpa Menina Suja”,- about the plastic artist Ana Vidigal; and, “À Procura de António Botto” – a documentary about the life and work of writer António Botto. She was a member of the jury of the Sir Peter Ustinov Television Scriptwriting Awards from 2013 to 2016, from the International Academy of Television Arts & Sciences.

Duration: 40’
Free admission

/

Coreografia e Música Original: São Castro
Realização: Cristina Ferreira Gomes
Interpretação: Beatriz Rousseau, Bruno Duarte, Francisco Ferreira, Joana Puntel, Luís Malaquias, Mariana Romão
Figurinos: Nuno Nogueira
Imagem: Luís Graciano, Cristina Ferreira Gomes, André Barreto
Som: Joana Girão
Produção: Luiz Antunes
Montagem: Sara Esteves
Colorista: Gonçalo Ferreira
Pós Produção Áudio: João M. Santos

Direção Geral – Mares do Sul: Cristina Ferreira Gomes
Direção de Ensaios – Ca.DA: Maria João Lopes
Direção Artística e Coordenação Geral – Ca.DA: Maria Franco

Agradecimento ao Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas
Apoio da Câmara Municipal da Marinha Grande

Este projeto da Companhia de Dança de Almada partiu de uma ideia original de Luís Malaquias e tem como base uma criação de São Castro. O convite à realizadora Cristina Ferreira Gomes surgiu na sequência do seu exemplar trabalho sobre a dança contemporânea e da afinidade sentida entre criadores e bailarinos.

Através da interdisciplinaridade e complementaridade de linguagens e métodos, procurou-se criar uma nova obra sobre uma temática de grande profundidade, que pretende contribuir para consciencializar/alertar para questões de foro ambiental, social e cultural. Integralmente filmado no Pinhal de Leiria, reflete sobre a importância de saber como lidar com a perda.

São Castro iniciou os seus estudos em dança no Balleteatro Escola Profissional de Dança e Teatro, no Porto e licenciou-se na Escola Superior de Dança, em Lisboa. Fez parte do Balleteatro Companhia, Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo e Ballet Gulbenkian. Como bailarina freelancer trabalhou com a Companhia Paulo Ribeiro, Companhia Olga Roriz, Companhia Clara Andermatt, Rui Lopes Graça, Sofia Silva, Benvindo Fonseca, Vasco Wellenkamp, Quorum Ballet / Daniel Cardoso, Tok’Art / André Mesquita, Ka Fai Choy, Tânia Carvalho, Luís Marrafa e Hofesh Shechter / Companhia Instável. Já criou trabalhos coreográficos para a Companhia de Dança do Algarve, Escola de Dança do Conservatório Nacional e, recentemente, para o Projecto Quorum. Em parceria com António Cabrita tem vindo a desenvolver desde 2011 o projecto | ACSC |, do qual “Play False”, peça estreada em 2014, recebeu o Prémio Autores 2015 na categoria Dança – Melhor Coreografia, atribuído pela Sociedade Portuguesa de Autores. Numa coprodução entre a Companhia Nacional de Bailado e Vo’Arte, é cocriadora e intérprete de “Tábua Rasa”, juntamente com António Cabrita, Henriett Ventura e Xavier Carmo. Frequentemente, dá aulas e workshops de dança contemporânea. São Castro e António Cabrita são, atualmente, diretores artísticos da Companhia Paulo Ribeiro, para a qual criaram “Um Solo para a Sociedade”, que estreou em junho de 2017. Ainda em 2017, a convite de Luísa Taveira, António Cabrita e São Castro criaram Dido e Eneias para a Companhia Nacional de Bailado.

Cristina Ferreira Gomes é fundadora e diretora da produtora Mares do Sul. Está a realizar o documentário “Rio de Onor, Outro Tempo”, com o apoio financeiro do Instituto de Cinema e Audiovisual. A estreia como realizadora foi com o documentário “Mulheres ao Mar”, financiado pelo ICAM, com o qual recebeu o prémio Revelação no Festival Caminhos do Cinema Português, em 2002. O documentário seguinte, “Carta de Chamada”, financiado pelo ICAM, recebeu menção honrosa para melhor documentário e também o prémio do público para melhor documentário no Festival Caminhos do Cinema Português de 2006. O filme integrou ainda a Mostra Panorama e a Mostra de Cinema Português em São Paulo e no Rio de Janeiro, no ano seguinte. Foi também exibido no ciclo de cinema sobre Emigração, organizado pela Presidência da República, em 2008 e no Festival Filmes do Homem, 2016. Do seu percurso como realizadora, destacam-se na área do documentário: série documental “Portugal que Dança” – 17 episódios sobre criadores na área da dança em Portugal; “Domingo à Tarde” – o filme segue o dia a dia de um grupo de jovens paquistaneses que se reúne todos os domingos à tarde, para jogar críquete num dos lugares mais emblemáticos de Lisboa, a Alameda D. Afonso Henriques; “Menina Limpa Menina Suja” – documentário sobre a artista plástica Ana Vidigal; “À Procura de António Botto” – documentário sobre a vida e obra do escritor António Botto. Integrou o júri do Sir Peter Ustinov Television Scriptwriting Awards de 2013 a 2016, da International Academy of Television Arts & Sciences.

Duração: 40′
Livre acesso