SARAMAGO EM MOVIMENTO

ESTREIA /PREMIERE

Raquel Tavares | Beatriz Lourenço | Mariana Dias |PORTUGAL|

1 de Out./ Oct. | Sábado/ Saturday | 15:30/ 3:30PM

Local / Location: Casa da Cerca – Centro de Arte Contemporânea

©Antonio Proenca de Carvalho

Este programa partiu de uma proposta da Rede Municipal de Bibliotecas de Almada, acolhida pela direção da Ca.DA, no sentido de homenagear a obra de José Saramago através de criações coreográficas.
O projeto, comissariado e produzido pela Companhia de Dança de Almada, visa também apoiar jovens artistas que se encontram neste programa através da reapropriação e reinterpretação do universo literário de Saramago em visões originais e personalizadas.

AUNTONIUS ADALFUNS

Conceção: Raquel Tavares
Co-criação e interpretação: Raquel Tavares e Vítor Hugo Afonso
Música: Angel e Hildur Guðnadóttir
Edição Musical: Raquel Tavares
Figurinos e Adereços: Companhia de Dança de Almada
Agradecimentos: Companhia de Dança de Almada e Bruno Duarte

“Antonius Adalfuns” é inspirado num texto da obra “O Homem Duplicado”.
Partindo da perspetiva de que a vida resulta da soma de todas as nossas escolhas, criou-se um dueto que reflete as várias perspetivas, pensamentos e diálogos internos que cada Ser possa ter. De que modo o pensamento e a consciência o influencia? De que forma o medo paralisante e frenético entorpece a sua perceção?

SOLO QUASE

Conceção: Beatriz Lourenço
Co-criação e Interpretação: Beatriz Lourenço e Ricardo Santos Silva
Texto: Ricardo Santos Silva, com base em excertos do conto ”A Cadeira”, de José Saramago

“Solo Quase” inspira-se na obra “Objeto Quase”.
Um solo que vive em partilha, nunca será solo.

PROTORETRATO

Conceito e interpretação: Bárbara Gomes, Eva Aguilar e Mariana Dias
Coreografia: Mariana Dias
Música Original: Eva Aguilar
Texto: Bárbara Gomes, a partir da obra “As Pequenas Memórias”, de José Saramago
Figurinos: Bárbara Gomes, Eva Aguilar, Mariana Dias

Esta peça tem como objeto de exploração a obra “As Pequenas Memórias”, de José Saramago.
Poder reconstrutor da memória. 1, 2, 3 a partir de agora vou ser uma pessoa diferente. Memórias. Não há explicação para elas, não as convocámos, mas elas aí estão.


Raquel Tavares, natural de Lisboa, iniciou o seu percurso em dança clássica com 7 anos, no método Royal Academy of Dance (diplomas do Grau 3 ao Avançado). Iniciou-se em dança contemporânea na Escola Superior de Dança, na qual se licenciou em Criação/Interpretação (2010/2013).
De 2013 a 2015 realizou a formação Olga Roriz – Dança/Teatro, onde teve contacto com Olga Roriz, Sylvia Rijmer, Magalie Lanriot, Catarina Câmara, Paulo Reis, Marta Lobato, Maria Cerveira, entre outros. Simultaneamente, frequentou o projeto Quorum, onde dançou peças de Daniel Cardoso, São Castro, Inês Godinho, Jácome Filipe, e realizou aulas técnicas com Cláudia Sampaio e Margarida Belo Costa. Enquanto intérprete freelancer trabalhou com Benvindo Fonseca (2015 e 2017) e Gonçalo Lobato (2017), e como estagiária na Companhia Olga Roriz (2016). Faz parte do elenco da Companhia de Dança de Almada desde 2017, onde pode trabalhar com coreógrafos como: Bruno Duarte, Inês Pedruco, Luís Marrafa, Luís Malaquias, Margarida Belo Costa, Julia Ehrstrand, Martxel Rodriguez e Jon López, em espetáculos com digressões nacionais e internacionais.
Das suas próprias criações destaca os solos “Campo Estreito. Minado de Sombras” (2015 e 2016) e “Corpo Sem Órgãos” (2017). Recentemente criou a peça “Gifted” (2021) para a Ca.DA. Enquanto professora, iniciou o seu percurso em 2013, dando aulas de dança clássica, dança contemporânea, dança criativa e composição coreográfica, em várias escolas, e de repertório na Companhia Olga Roriz (2016). É professora na Ca.DA Escola desde 2020. Atualmente está a concluir o mestrado em Ensino de Dança na Escola Superior de Dança de Lisboa.

Bárbara Gomes, 19 anos, ingressou em 2019 na ACT-Escola de Atores, onde atualmente frequenta o terceiro e último ano do curso. Teve aulas com Beatriz Batarda, Sara Vaz, Nuno Nunes, Vítor Hugo Pontes, entre outros. Fez projetos em ambiente escolar (espetáculo e filme final do 2.º ano) e integrou o projeto École des Maîtres, no Teatro Dona Maria II, em 2021. Frequentou o primeiro ano da licenciatura em Audiovisual e Multimédia na ESCS – Escola Superior de Comunicação Social, onde, apesar de não ter finalizado o curso, descobriu interesse pela edição e realização.

Eva Aguilar (2002), estudou violoncelo com Luís Sá Pessoa e composição com Daniel Schvetz na Escola de Música do Conservatório Nacional (Lisboa). Frequenta atualmente a licenciatura em Composição na Escola Superior de Música de Lisboa, estudando com Jaime Reis e Carlos Caires. Paralelamente, estuda canto com Joana Nascimento e integra o Coro Juvenil da Universidade de Lisboa, dirigido por Erica Mandillo, tendo participado em produções com a Orquestra e Coro Gulbenkian, festivais corais em Vesoul, Turim, Basileia, Estrasburgo/Zurique e concertos na Casa da Música, CCB, Teatro São Luiz, O’Culto da Ajuda, Fundação Calouste Gulbenkian (com a pianista Maria João Pires). Em 2021, teve peças tocadas no Festival Dialogues (Edimburgo), Festival Música Viva, Festival DME e integrou o colectivo BoCA Sub 21- Biennial of Contemporary Arts. Recentemente foi selecionada pelo Divertimento Ensemble para escrever uma obra a ser estreada no Festival Rondò 2022, em Milão.

Mariana Dias é licenciada em Dança (2021), pela Escola Superior de Dança (ESD), de Lisboa. Iniciou a sua formação em dança na Ca.DA Escola, da Companhia de Dança de Almada. Foi aluna de Erasmus na Stockholm University of the Arts (DOCH), tendo-se juntado à turma do terceiro ano do curso de Dance Performance. Cocriou com Beatriz Lourenço a peça “VIAGEM”, apresentada em 2017 na Quinzena de Dança de Almada, e com Rafael Pinto a peça “Em Laivo”, apresentada na Biennale Tanzausbildung, Hamburgo, no Festival Metadança, Leiria, e no Festival LUGAR FUTURO, Viseu, em 2020. No mesmo ano, foi bailarina na peça “O cansaço dos seres”, de João Fernandes, apresentada no Festival Metadança, em Leiria. Em 2021, iniciou estágio na Companhia de Dança de Almada e participou num curso intensivo de Flying Low e Passing Through com David Zambrano. Recentemente, em 2022, dançou na peça Húmus, a partir da COMPOTA Artistic Residence.

Beatriz Lourenço é mestranda em Estudos e Gestão da Cultura, no ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa, e licenciada em Dança (2021), pela Escola Superior de Dança (ESD), de Lisboa. Em 2012 iniciou a formação artística em Dança na Ca.DA Escola, da Companhia de Dança de Almada, onde frequentou o Curso Vocacional até 2018. Frequentou o Curso de Artes Visuais na Escola Artística e Secundária António Arroio (Lisboa) e na Escola Secundária Anselmo de Andrade (Almada). No percurso em Dança, destaca os seguintes professores: Bruno Duarte, Maria Franco, Carla Albuquerque, Gonçalo Lobato, Rita Judas, Maria José Bernardino, Sylvia Rijmer, Rita Vilhena, Amélia Bentes, Maria Ramos e João Fernandes. Como intérprete, destaca o trabalho desenvolvido com Joana Borges em “Dust” (2021); com João Fernandes em “O Cansaço dos Seres” (2020); com Maria José Bernardino em “Óptima” (2019), em “Regresso” (2018) e em “O Muro” (2017); e com Bruno Duarte em “Dentro do Abraço” (2016). Como criadora destaca as peças “Edictum”, desenvolvida em cocriação com Inês Costa, em 2020; “Unfold 0.1” peça na qual foi criadora e intérprete, inaugurando a exposição Ver de Fazer (2019); e “Viagem”, apresentada na 25.ª Quinzena de Dança de Almada, onde foi intérprete e cocriadora ao lado de Mariana Dias (2017). Atualmente desenvolve “TAMBÉM é tEU”, em co-criação com Rafael Pinto e Catarina Marques, contando o projeto com o apoio da ESD e dos Estúdios Victor Córdon. Como professora, leciona a disciplina de Improvisação na Ca.DA Escola, desde 2020, e de Estúdio Coreográfico, desde 2021.


Saramago em Movimento (PREMIERE)

This programme came from a proposal by the Almada Municipal Library Network, welcomed by Ca.DA direction, in order to pay tribute to José Saramago’s work through choreographic creations.
The project, curated and produced by Companhia de Dança de Almada, also aims to support young artists. In this programme we find the reappropriation and reinterpretation of Saramago’s literary universe in original and personalised visions.

AUNTONIUS ADALFUNS

Conception: Raquel Tavares
Co-creation and interpretation: Raquel Tavares and Vítor Hugo Afonso
Music: Angel and Hildur Guðnadóttir
Music Editing: Raquel Tavares
Costumes and Props: Companhia de Dança de Almada
Acknowledgements: Companhia de Dança de Almada and Bruno Duarte

“Antonius Adalfuns” is inspired by a text from “The Duplicate Man”.
From the perspective that life results from the sum of all our choices, a duet was created that reflects the various perspectives, thoughts and internal dialogues that each Being may have. How does thought and consciousness influence you? How does paralysing and frantic fear numb your perception?

SOLO QUASE

Conception: Beatriz Lourenço
Co-creation and Interpretation: Beatriz Lourenço and Ricardo Santos Silva
Text: Ricardo Santos Silva, based on excerpts of the short story “A Cadeira” by José Saramago

“Solo Quase” is inspired in the text “Objeto Quase”.
A solo that lives in sharing will never be solo.

PROTORETRATO

Concept and interpretation: Bárbara Gomes, Eva Aguilar and Mariana Dias
Choreography: Mariana Dias
Original Music: Eva Aguilar
Text: Bárbara Gomes, based on José Saramago’s “As Pequenas Memórias”.
Costumes: Bárbara Gomes, Eva Aguilar, Mariana Dias

The subject of this piece is the work “As Pequenas Memórias”, by José Saramago.
Reconstructive power of the memory. 1, 2, 3, from now on I will be a different person. Memories. There is no explanation for them, we did not summon them, but they are there.


Raquel Tavares, born in Lisbon, began in classical dance at 7 years old, in the Royal Academy of Dance method (Grade 3 to Advanced). Her contact with contemporary dance began in Escola Superior de Dança, where she graduated in Creation / Interpretation (2010/2013). From 2013 to 2015 she followed the Olga Roriz – Dance/Theater Training, where she had contact with Olga Roriz, Sylvia Rijmer, Magalie Lanriot, Catarina Câmara, Paulo Reis, Marta Lobato, Maria Cerveira, among others. Simultaneously, she attended the Quorum project where she danced pieces by Daniel Cardoso, São Castro, Inês Godinho, Jácome Filipe, and took technique classes with Cláudia Sampaio and Margarida Belo Costa. As freelance performer, she worked with Benvindo Fonseca (2015 and 2017) and Gonçalo Lobato (2017), and also worked as an intern at Companhia Olga Roriz (2016). She is in Companhia de Dança de Almada since January 2017, working with choreographers such as: Bruno Duarte, Inês Pedruco, Luís Marrafa, Luís Malaquias, Margarida Belo Costa, Julia Ehrstrand, Martxel Rodriguez and Jon López, with national and international tours.
She has created and performed solos “Campo Estreito. Minado de Sombras” (2015 and 2016) and “Corpo Sem Órgãos” (2017). She created “Gifted” (2021) for Companhia de Dança de Almada. As a teacher, she started in 2013, teaching ballet, contemporary dance, creative dance and choreographic composition at various schools, and repertoire at Companhia Olga Roriz (2016). She has been a teacher at the Ca.DA Escola since 2020. She is currently completing a Masters in Dance Teaching at Escola Superior de Dança in Lisbon.

Bárbara Gomes, 19 years old, joined ACT-Escola de Atores in 2019, where she is currently attending the third and final year of the course. She took classes with Beatriz Batarda, Sara Vaz, Nuno Nunes, Vítor Hugo Pontes, among others. She developed projects within the school environment and integrated the project École des Maîtres, at National Theatre Dona Maria II, in 2021. She studied Audiovisual and Multimedia at ESCS – Escola Superior de Comunicação Social, where, despite not having finished the course, she discovered an interest in editing and directing.

Eva Aguilar (2002), studied cello with Luís Sá Pessoa and composition with Daniel Schvetz at the Music School of the National Conservatory (Lisbon). She is currently studying Composition at Escola Superior de Música de Lisboa, with Jaime Reis and Carlos Caires. At the same time, she studies singing with Joana Nascimento and is a member of the Youth Choir of the University of Lisbon, directed by Erica Mandillo, having participated in productions with the Orquestra and the Gulbenkian Choir, choral festivals in Vesoul, Turin, Basel, Strasbourg/Zurich and concerts at Casa da Música, CCB, Teatro São Luiz, O’Culto da Ajuda, Fundação Calouste Gulbenkian (with pianist Maria João Pires). In 2021, she had pieces played at Festival Dialogues (Edinburgh), Festival Música Viva, Festival DME and was part of the collective BoCA Sub 21- Biennial of Contemporary Arts. She was recently selected by the Divertimento Ensemble to write a work to be premiered at the Festival Rondò 2022 in Milan.

Mariana Dias has a degree in Dance (2021), from Escola Superior de Dança (ESD), in Lisbon. She started her dance training at Ca.DA School / Companhia de Dança de Almada. She was an Erasmus student at Stockholm University of the Arts (DOCH), having joined the third year class of the Dance Performance course. She co-created with Beatriz Lourenço the play “VIAGEM”, presented in 2017 in Quinzena de Dança de Almada, and with Rafael Pinto “Em Laivo”, presented at the Biennale Tanzausbildung, Hamburg, at Metadança Festival, Leiria, and at LUGAR FUTURO Festival, Viseu, in 2020. In the same year, she was a dancer in “O cansaço dos seres”, by João Fernandes, presented at Metadança Festival, in Leiria. In 2021, she started an internship at Ca.DA and participated in an intensive Flying Low and Passing Through course with David Zambrano. Recently, in 2022, she was a dancer in Húmus, from COMPOTA Artistic Residence.

Beatriz Lourenço is a Master’s student in Culture Studies and Management at ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa, and has a degree in Dance (2021) from Escola Superior de Dança (ESD), in Lisbon. In 2012 she began her artistic training in Dance at Ca.DA Escola – Companhia de Dança de Almada, where she completed the Vocational Course in 2018. She attended the Visual Arts Course at António Arroio Secondary Artistic School (Lisbon) and at the Anselmo de Andrade Secondary School (Almada). In her dance training, she highlights the following teachers: Bruno Duarte, Maria Franco, Carla Albuquerque, Gonçalo Lobato, Rita Judas, Maria José Bernardino, Sylvia Rijmer, Rita Vilhena, Amélia Bentes, Maria Ramos and João Fernandes. As a performer, she underlines the work developed with Joana Borges in “Dust” (2021); with João Fernandes in “O Cansaço dos Seres” (2020); with Maria José Bernardino in “Optima” (2019), in “Regresso” (2018) and in “O Muro” (2017); and with Bruno Duarte in “Dentro do Abraço” (2016). As a creator, she highlights the pieces “Edictum”, in co-creation with Inês Costa, in 2020; “Unfold 0.1”, for the inauguration of the exhibition “Ver de Fazer” (2019); and “Viagem”, presented in 25th Quinzena de Dança de Almada, where she was a performer and co-creator alongside with Mariana Dias (2017). She is currently developing “TAMBÉM é tEU”, in co-creation with Rafael Pinto and Catarina Marques, in a project with the support of ESD and Victor Córdon Studios. As a teacher, she has taught Improvisation at Ca.DA Escola since since 2020, and Choreographic Studio since 2021.

Duração total/Total duration: Aprox. 30′
Classificação etária/Ages: Maiores de 6/ 6 and above
Entrada gratuita (sujeita à lotação dos espaços exteriores)/Free Admission (limited to the capacity of the outdoor spaces)
Informações/Information: +351 212 583 175 | quinzena@cdanca-almada.pt