3 Oct./out. | 18:00
Venue/Local: Fnac Almada

10 Oct./out. | 11:00
Venue/Local: Escola Superior de Dança*
Session commentary by Doutor Sérgio Bordalo e Sá in collaboration with INET-md/F.M.H./ Sessão comentada pelo Doutor Sérgio Bordalo e Sá em colaboração com o INET-md/F.M.H.

Reality Representations / Representações da Realidade

This session presents different interpretations of reality, in social endeavours, in self-biographical moments or individual experiences, represented through the use of video dance. / Nesta sessão são apresentadas diferentes interpretações da realidade social, momentos auto-biográficos e vivências individuais, representados através do recurso ao videodança. 

photo/foto Severin Hardy
Bedroom Secrets
Marilena Grafakos |DE|

Choreography and Video Direction: Marilena Grafakos

A story of two people expressing their real feelings silently through movement behind closed doors inside a bedroom, a place where naked truth is bound to be revealed! Compromises, truth, reality and loyalty will all be tested! A fine line between between silence and noise, sleep and awake. What matters are those fine lines. They define us. Who are we? Limited thoughts stare limitless possibilities at a bedroom mirror. The only safe place to reveal one’s secrets!

Marilena Grafakos, performer, has appeared in musicals such as “Hello Dolly”, “Chorus Line”, “The Apple Tree”, “Matador” as well as straight plays such as “in the Boom Boom Room” and “Molly’s Dream”. 

She started her choreographic work as a student, when she wrote, directed/choreographed and cast six of her own shows. After her studies she started choreographing for musicals as well as for ballet and modern companies. She was a dancer in Tokyo, Japan with the Gordon Bleu show. Later, having made Stuttgart, Germany her permanent base she started choreographing for music groups, conventions, fashion shows, TV shows and beauty pageants. From 1996-2002 she also served as the Artistic Director/Resident Choreographer of Manhattan Dance Company in Stuttgart. Marilena’s choreographic work for this Company has been awarded three times on an international level in 1997 in Freiburg, Germany and in 2003 in Glanz, Switzerland with “Firestarter” and in 2000 in Ettlingen with “Shimmering Light”. These shows received great reviews and featured Marilena’s old and new choreographic work.

In 2007 Marilena began focusing more of her creative and organizational energy on working in her native country of Greece with the project “Dance Art Festival”.

Her independent company ART IN MOTION was created as a vehicle for organizing dance – related events. In 2010 she choreographed the Thomas Gottschalk-hosted television show “Swinging Sixties for ZDF. Since 2012 Marilena has been collaborating with the film director Babis Giannikakis in Greece and their two video dance trailers “Zoe” and “Beat Generation” were featured by the Athens Video Dance Project in 2012 and 2013. 

Marilena has toured throughout Germany with her “Choreography Project”. In 2008 she became a permanent faculty member of the MINKOV DANCE ACADEMY. She visited India in September 2017 where she worked with Navdhara Indian dance Theater, Danceworkxx in Mumbai and collaborated with Delhi Dance Academy in Delhi. In the Fall of 2018 Marilena appeared in the original play “Wertmüll” at the Jes Theater in Stuttgart.

For 2019 Marilena has panned another trip to India to work with the famous John Barry acting school as a guest Master teacher and to work on her upcoming short dance film production.

www.marilenagrafakos.com
www.mg-artinmotion.com 

Duration: 4’12’’

/

Coreografia e Realização: Marilena Grafakos

Uma história de duas pessoas, que exprimem os seus verdadeiros sentimentos silenciosamente através de movimento atrás de portas fechadas, dentro de um quarto, um lugar onde a verdade nua será forçosamente revelada! Compromissos, verdade, realidade e lealdade serão todos testados! Uma ténue linha entre o silêncio e o ruído, o sono e a vigília. O que importa são essas ténues linhas. Elas definem-nos. Quem somos nós? Pensamentos limitados contemplam possibilidades ilimitadas num espelho de um quarto. O único lugar seguro para revelar os segredos!

Marilena Grafakos, performer, tem aparecido em musicais como Hello Dolly, Chorus Line, The Apple Tree, Matador e em peças de teatro como In the Boom Boom Room e Molly’s Dream. 

Iniciou o seu trabalho coreográfico quando ainda era estudante, período em que escreveu, encenou/coreografou e participou em seis dos seus próprios espetáculos. Depois de ter concluído os seus estudos, começou a coreografar para musicais, bem como companhias de ballet e de dança moderna. Trabalhou como bailarina em Tóquio, Japão, no espetáculo Gordon Bleu. Mais tarde, foi viver para Estugarda, Alemanha, onde começou a coreografar para grupos de música, convenções, desfiles de moda, programas de televisão e concursos de beleza. Entre 1996 e 2002, foi também diretora artística/coreógrafa residente da Companhia de Dança Manhattan em Estugarda. O trabalho coreográfico de Marilena para esta companhia foi premiado três vezes a nível internacional em 1997, em Freiburg, na Alemanha e em 2003, em Glanz, Suíça, com Firestarter e em 2000, em Ettlingen, com Shimmering Light. Estes espetáculos receberam ótimas críticas e continham o trabalho coreográfico antigo e novo de Marilena.

Em 2007, Marilena começou a concentrar mais da sua energia criativa e organizacional a trabalhar no seu país nativo, a Grécia, com o projeto “Dance Art Festival”.

A sua empresa independente Art In Motion foi criada como um veículo para a organização de eventos relacionados com a dança. Em 2010, coreografou o programa de televisão apresentado por Thomas Gottschalk “Swinging Sixties” para a estação ZDF. Desde 2012 que Marilena colabora com o realizador Babis Giannikakis na Grécia e os seus dois trailers de videodança “Zoe” e “Beat Generation” foram apresentados no Athens Video Dance Project em 2012 e 2013. 

Marilena levou o seu “Choreography Project” em digressão por toda a Alemanha. Em 2008, tornou-se membro do corpo docente permanente da Minkov Dance Academy. Em setembro de 2017, visitou a Índia, onde trabalhou com Navdhara Indian dance Theater, Danceworkxx, em Bombaim, e colaborou com a Delhi Dance Academy, em Deli. No outono de 2018, Marilena participou na peça inédita “Wertmüll” no Jes Theater em Estugarda.

Para 2019, Marilena tem planeada outra viagem à Índia para trabalhar com a famosa escola de representação John Barry como Professora convidada e para trabalhar na produção da sua próxima curta-metragem de dança.

www.marilenagrafakos.com
www.mg-artinmotion.com 

Duração: 4’12’’

photo/foto Tara Friedenberg
Emotional Houdini
Tara Cheyenne Friedenberg / Allison Beda |CA|

Choreography: Tara Cheyenne Friedenberg
Video Direction: Allison Beda

A comedic experimental dance film about aging, memory loss and the difficulties of communicating with your dad.

Tara Friedenberg is a choreographer, performer, educator and Artistic Director of Tara Cheyenne Performance. Based in Vancouver, she has been creating and performing her unique brand of hybrid dance-theatre for the past decade and is known for her expert blending of comedy, dynamic physicality and character work. Tara has been nominated for several Jessie and Ovation awards for her theatrical choreography and is a 2014 recipient of the Chrystal Dance Prize. She starred in Allison Beda’s experimental short film Be Zero Be and was profiled in the online culture magazine Imagista, with a video artist profile directed and shot by Ms. Beda. Recent credits include: Porno Death Cult, Highgate and How To Be.

Allison Beda turned her first career as an international fashion model into the feature documentary How To Be A Model which gave women usually treated like objects a voice, was broadcast internationally and deemed “an intriguing insider look filled with shattered stereotypes” by critics. Ms. Beda’s numerous award-winning shorts include: 9-1-Mum (Legacy Award for “Outstanding Achievement in Film”), and the BravoTV commissioned dance film 30- LOVE, (which has also done two world tours). Allison has also just been awarded a commission from The Canada Arts Council to create a 360/VR dark comedy dance film Yoga My Way. Allison’s artistic practice often poetically explores the intersection of cinema, dance and “narrative” (which is sometimes documentary) – It doesn’t fit into a neat category, or any category at all, resulting in bold and unique films.

www.allisonbeda.com 

Duration: 2’39’’

/

Coreografia: Tara Cheyenne Friedenberg
Realização: Allison Beda

Um filme de dança humorístico experimental sobre o envelhecimento, a perda de memória e as dificuldades de comunicar com o seu pai.

Tara Friedenberg é coreógrafa, intérprete, educadora e diretora artística de Tara Cheyenne Performance. Baseada em Vancouver, tem criado e interpretado a sua marca exclusiva de dança-teatro híbrida durante a última década e é conhecida pela sua mistura exímia de comédia, fisicalidade dinâmica e trabalho de personagem. Tara foi nomeada para vários prémios Jessie e Ovation pela sua coreografia teatral é recebeu o Prémio Chrystal Dance em 2014. Estrelou na curta-metragem experimental de Allison Beda “Be Zero Be” e o seu perfil foi publicado na revista de cultura online Imagista, com um perfil de artista de vídeo realizado e fotografado por Allison Beda. Créditos recentes incluem: Porno Death Cult, Highgate e How To Be.

Allison Beda transformou a sua carreira inicial como modelo internacional no documentário de longa-metragem “How To Be A Model”, onde deu voz a mulheres geralmente tratadas como objetos. Este documentário foi difundido internacionalmente e considerado pelos críticos como “uma visão intimista e intrigante em que são destruídos estereótipos”. Entre as várias curtas-metragens premiadas de Allison Beda, incluem-se: 9-1-Mum (Legacy Award “Realização notável em filme”) e o filme de dança encomendado pela BravoTV 30-LOVE, que já realizou duas digressões mundiais. Allison acabou também de ser comissionada pelo The Canada Arts Council para criar um filme de dança/comédia negra 360/VR Yoga My Way. Muitas vezes, na sua prática artística, Allison explora poeticamente a intersecção do cinema, da dança e da “narrativa” (que é, por vezes, documental). Não se encaixa numa categoria certinha ou mesmo em qualquer categoria, resultando em filmes audazes e únicos.

www.allisonbeda.com 

Duração: 2’39’’

photo/foto Nicola Hepp
Traces
Jason Mabana / Nicola Hepp |NL/SE/BE/UK|

Choreography: Jason Mabana
Video Direction: Nicola Hepp
Camera: Alessio Reedijk
Dance: Gina Aussen and Luc de Raad

A man and a woman together alone in a relationship that seems to drain them both. Is this the end or the beginning of the end for them?

The film Traces takes its inspiration from Jason Mabana’s dance piece ‘Last Line’ which he created for the Amsterdam School of the Arts in 2018. Director Nicola Hepp felt a deep connection to his work and juxtaposed the movement material with ideas of representing a failing relationship. The underlying sense of time, rush and fragility informs the viewer of the inherent sadness in this duet.

Jason Mabana was born in Belgium from a Filipino heritage. Jason first trained in Belgium, as a hip-hop and contemporary dancer. At the age of 17, he moved to London to study Dance at Lewisham College and furthered his training at the Rambert School. During his time at Rambert, Jason choreographed various pieces, that toured with the school and have been performed at multiple venues such as Lindbury, Lilian Baylis and Central St Martin. His choreographic work has also been featured in BBC young dancer, Cloud dance festival and Mr Wonderful, a show directed by Mathew Bourne in commemorative to Jonathan Olivier. Jason also has a postgraduate diploma from the London Contemporary Dance School.

As a dancer Jason began his career as an apprentice with Akram Khan Company for the solo Chotto Desh. Jason continued his career with Shobana Jeyasingh Dance Company performing her work Strange Bloom. He then Joined Wayne McGregor performing a duet in collaboration with artist Haroon Mirza. He also performed with Saju Hari dance. Jason is now dancing for Candoco Dance Company performing works by Trisha Brown, Alexander Whitley and Hetain Patel.

Nicola Hepp is a swedish filmmaker and choreographer, based in the Netherlands. Holding a master in Choreography and New Media from Amsterdamse Hogeschool voor de Kunsten, she has worked with video as an integral part of live performance and installations since 2002.

Her films Echo, Walk, The Double and Songs of the Underworld have been screened and awarded at (dance) film festivals internationally.

Her work often returns to the theme of ageing, reminiscing and/or the notion of a double such as in the ideas of writer Jorge Luis Borges. She is fascinated with combining the live, moving body with moving images and has often worked with live or pre-recorded images in her live performances and installations in the past. Since 2015 her main focus is on screendance and film making. She finds the choreography of the camera in relation to the dancers, actors or moving bodies to be of utmost importance.

www.nicolahepp.com 

Duration: 3’33”

/

Coreografia: Jason Mabana
Realização: Nicola Hepp
Câmara: Alessio Reedijk
Dança: Gina Aussen e Luc de Raad

Um homem e uma mulher juntos, sozinhos numa relação que parece esgotá-los a ambos. É este o fim ou o começo do fim para eles?

O filme Traces inspira-se na peça de dança ‘Last Line’ de Jason Mabana, que ele criou para a Amsterdam School of the Arts em 2018. O realizador Nicola Hepp sentiu uma profunda ligação com o seu trabalho e justapôs o material de movimento com ideias de representação de uma relação a falhar. O sentido do tempo, pressa e fragilidade subjacente informa o espetador da tristeza inerente a este dueto.

Jason Mabana nasceu na Bélgica e tem ascendência filipina. Jason formou-se como bailarino de hip-hop e dança contemporânea. Aos 17 anos, mudou-se para Londres para estudar dança no Lewisham College e continuou a sua formação na Rambert School. Durante o seu tempo na Rambert, Jason coreografou várias peças, que foram levadas em digressão com a escola e têm sido apresentadas em vários espaços, como Lindbury, Lilian Baylis e Central St Martin. O seu trabalho coreográfico também foi apresentado na BBC Young Dancer, no Cloud Dance Festival e Mr Wonderful, um espetáculo realizado por Mathew Bourne em comemoração de Jonathan Olivier. Jason também tem uma pós-graduação da London Contemporary Dance School.

Como bailarino, Jason começou a sua carreira como estagiário na Akram Khan Company no solo Chotto Desh. Jason continuou a sua carreira na Shobana Jeyasingh Dance Company, tendo interpretado a peça Strange Bloom. Depois disso, juntou-se a Wayne McGregor, colaborando num dueto com o artista Haroon Mirza. Também trabalhou com Saju Hari dance. Atualmente, Jason dança na Candoco Dance Company, interpretando trabalhos de Trisha Brown, Alexander Whitley e Hetain Patel.

Nicola Hepp é uma cineasta e coreógrafa sueca, baseada nos Países Baixos. Tem um mestrado em Coreografia e Novos Media da Amsterdamse Hogeschool voor de Kunsten, trabalha com vídeo desde 2002 como parte integrante de instalações e performances ao vivo. Os seus filmes Echo, Walk, The Double e Songs of the Underworld foram apresentados e premiados em festivais de cinema (dança) internacionais.

O seu trabalho retoma muitas vezes o tema do envelhecimento, da lembrança e/ou da noção de um duplo à semelhança das ideias do escritor Jorge Luis Borges. Tem um grande fascínio por combinar o corpo vivo em movimento com imagens em movimento e no passado tem trabalhado frequentemente com imagens ao vivo ou pré-gravadas nas suas instalações e nos seus espetáculos ao vivo. Desde 2015, o seu foco principal é a screendance e a realização de filmes. Considera de extrema importância a coreografia da câmara em relação aos dançarinos, atores ou corpos em movimento.

www.nicolahepp.com 

Duração: 3’33”

photo/foto Davide De Lillis
Silhouettes
Davide De Lillis / Jiulia Metzger-Traber |DE/VN|

Choreography and Video Direction: Davide De Lillis and Jiulia Metzger-Traber

In this Video-poem eleven young residents of the Friendship Village in Vietnam who are living with disabilities caused by Agent Orange dance their way from waking to dreaming. As their movements grow with humour and vulnerability we are welcomed ever deeper into their magical world.

Davide De Lillis is an Italian choreographer, performer, dancer, and teacher. He holds an MA in Choreographing Live Art. Over the past few years, in addition to his own work and teaching, he has been collaborating with artist Tino Sehgal, dancing in several of his works. In addition to his performing and directing, he teaches Yoga, collaborative creation and movement. He is constantly trying to push the borders of his comfort zone and find honesty through collaborative risk-taking. 

Julia Metzger-Traber is a German/US American performance and video artist, facilitator, peace worker and cultural theorist. Not bound to a single genre or discipline, she allows form to follow from the demands of content. Her art-making is a vehicle for critical questioning, healing and reconciliation. She is currently making documentary and experimental films about racism, home and migration in Berlin and is an MA candidate at the University of Innsbruck in Peace and Conflict Transformation.

www.davidedelillis.wordpress.com
www.cheneso.com 

Duration: 4’23’’

/

Coreografia e Realização: Davide De Lillis e Jiulia Metzger-Traber

Neste vídeo-poema onze jovens moradores da Friendship Village no Vietname, que vivem com deficiência causada pelo Agente Laranja, dançam do despertar ao sonhar. À medida que os seus movimentos se desenvolvem com humor e vulnerabilidade entramos cada vez mais no seu mundo mágico.

Davide De Lillis é coreógrafo, intérprete, bailarino e professor italiano. Tem um mestrado (MA) em Coreografia de Arte ao Vivo. Ao longo dos últimos anos, além de ter realizado o seu próprio trabalho e lecionado, tem colaborado com o artista Tino Sehgal, dançando em várias das suas peças. Além de ser intérprete e realizador, ensina Yoga, criação colaborativa e movimento. Tenta constantemente alargar os limites da sua zona de conforto e encontrar honestidade através da assunção de riscos colaborativa. www.davidedelillis.wordpress.com

Julia Metzger-Traber tem origem alemã/americana e é intérprete e artista de vídeo, facilitadora, promotora da paz e teórica cultural. Não está vinculada a um único género ou disciplina, permitindo que a forma evolua a partir das exigências do conteúdo. A sua arte é um veículo para o questionar crítico, a cura e a reconciliação. Atualmente está a realizar documentários e filmes experimentais sobre o racismo, o lar e a migração em Berlim e é mestranda em estudos sobre a paz e a transformação do conflito na Universidade de Innsbruck.

www.davidedelillis.wordpress.com
www.cheneso.com 

Duração: 4’23’’

photo/foto Axel Nordman
Blind
Mia Jaatinen / Mikko Makkonen / Katariina Räty |FI|

Choreography: Mia Jaatinen and Mikko Makkonen
Video Direction: Katariina Räty

Blind is a dance short film about how the routine of everyday encounters escalate into a struggle of egos. What becomes of love in a relationship where the other becomes so obvious that you no longer can see.

Mikko Makkonen is freelance dance artist based in Helsinki. He graduated as a dancer (MA) at the Helsinki University of the Arts and as a BA in Dance Education. Mikko has worked with choreographers such as Jarkko Mandelin, Jorma Uotinen and Jeremy Wade. Background in breakdance, Hip Hop culture and academic art education has given Mikko a wide perspective for different art contexts.

Mia Jaatinen is a freelance dance artist based in Helsinki. She holds a Master’s Degree in Dance performance. Mia has worked with choreographers such as Jarkko Mandelin, Sonya Lindfors, Jeremy Wade and Reija Wäre. She has performed at international festivals and venues. Mia is also one of the founders of /\/\ /\/\ /\/\ collective and part of Jarkko Mandelins group Kinetic Orchestra.

Katariina Räty has worked as a director and screenwriter in several short films. She holds BA in Film and BBA in Economics. She has also studied Drama and pedagogy in Theatre Academy and worked at the Helsinki National Theatre.

Her film Kujalla won the award for the best movie of Arcada University in 2015. In her latest short films Blind (2017) and Second Illusion (2018) she has explored physical theatre, dance and movement. Her film Blind has been screened in several international film festivals and experimental programs.

https://www.facebook.com/directorkatariina/

Duration: 6’22′

/

Coreografia: Mia Jaatinen e Mikko Makkonen
Realização: Katariina Räty

Blind é uma curta-metragem de dança sobre como a rotina dos encontros diários evolui para uma luta de egos. O que acontece ao amor numa relação em que o outro se torna tão óbvio que já não se consegue ver.

Blind tem sido apresentado em festivais em diversos países: Finlândia, Canadá, Estónia, México, Portugal e Bangladesh. 

Mikko Makkonen é um artista de dança freelance baseado em Helsínquia. Formou-se como bailarino (MA) na Universidade de Artes de Helsínquia e tem um bacharelato (BA) em Educação em Dança. Mikko trabalhou com coreógrafos como Jarkko Mandelin Jorma, Uotinen e Jeremy Wade. As suas raízes no breakdance, cultura Hip Hop e educação académica em arte permitem a Mikko ter uma perspetiva ampla relativamente a diferentes contextos de arte.

Mia Jaatinen é uma artista de dança freelance baseada em Helsínquia. Tem um mestrado em interpretação de dança. Mia trabalhou com coreógrafos como Jarkko Mandelin, Sonya Lindfors, Jeremy Wade e Reija Wäre. Atuou em festivais internacionais e locais. Mia é também uma das fundadores do coletivo /\/\ /\/\ /\/\ e faz parte do grupo Jarkko Mandelins Kinetic Orchestra.

Katariina Räty trabalhou como realizadora e argumentista em várias curtas-metragens. Tem um bacharelado (BA) em Cinema e outro (BBA) em Economia. Também estudou teatro e pedagogia na Academia de Teatro e trabalhou no Teatro Nacional de Helsínquia.

O seu filme Kujalla ganhou o prémio de melhor filme de Arcada University em 2015. Nas suas mais recentes curtas-metragens Blind (2017) e Second Illusion (2018) explora o teatro físico, a dança e o movimento. Seu filme Blind foi exibido em vários festivais de cinema e programas experimentais internacionais.

https://www.facebook.com/directorkatariina/

Duração: 6’22’’

photo/foto Samuel Lorenzetti
Reminiscência
Cia. Eclipse Cultura e Arte |BR|

Direction: Diogo Angeli
Performance/Creation: Klisman Rodrigues (7K Buck)
Photography: Diogo Angeli and Jurssa Santos
Image Capture: Jurssa Santos and Diogo Angeli
Editing: Diogo Angeli
Music: The end & Let´s gp M. F.- Beat Maker MK Buck
Technical Assistance: Ana Cristina Ribeiro, Ricardo Cardoso, William Bispo, Renan Augusto, Wagner Silva
Production: Cia Eclipse Cultura e Arte
Cultural Assistance: Coordenadoria Setorial do FICC, Secretaria Municipal de Cultura de Campinas, Prefeitura Municipal de Campinas

Videodance for the Côncavo e Convexo Project that honours the life and work of Maestro Carlos Gomes reflecting on the issues of the black body and the classic-popular paradox.

Eclipse Cultura e Arte Cia., created in 2002 in the city of Campinas, Brasil, has received awards nationally and internationally. Today it conducts artistic and cultural research to create artistic pieces, shows, performances, interventions and courses. Through the different styles of urban dance linked to Hip Hop Culture – our specialty – enriched with techniques of dance theatre, acrobatic gymnastics, circus, among other languages ​​that contribute to the proposed project.

In 2018 we toured different the state of São Paulo, performing the show ‘Côncavo e Convexo’ and we were awarded in the Proac notice for preparing the new work entitled ‘Ópera dos Três Vinténs’ inspired by the work of Bertolt Brecht.

In 2017 we toured with the intervention 3 ao Quadrado by the Circuito SESC de Artes, and participated in the SESC Dance Biennial in Campinas-SP with the meeting point Soul Urbano. The company was an artistic attraction, through FUNARTE and the Ministry of Culture, at the World Cup in Brazil (2014) in Salvador-BA with the show Dança de Rua e suas faces and the Rio Olympics (2016), Rio de Janeiro -RJ, with the show ‘Impermanência’ and also organized a special edition of the urban dance festival ‘Battle Brazil’ at the Olympic Games.

Since 1999, the company has been organizing the non-competitive ‘Campinas Street Dance Festival’, currently present in the municipal calendar of Campinas-SP. The festival has unfolded creating the ‘Fórum da Dança Urbana’ and its competitive branch, ‘Battle Brazil’. In 2007 we started partnering with ‘Battle Of The Year Worldwide’, the most traditional and relevant German-based Breakdance meeting in the world, with a worldwide network of contacts in the B.Boying / BGirling scene in which we are immersed.

In the production of artistic and cultural content, the company launched the book ‘Dança de Rua’ published by Atom, one of the main of its kind in the country. We have held artistic-cultural-educational exchanges with the New York and Columbia universities  in New York. And we currently support and participate directly in the doctoral research of one of our directors at the Instituto de Artes da Unicamp

Diogo Angeli, graduated in Dance from the Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP in 2004. In 2005, he worked as a dancer creator at the Cia de Dança Lina Penteado (2005), contributing to the creation of the show A Casa da Mão Joana that toured the region of Campinas in 2005. At the end of 2005 he joined Packer Cia de dança, where he still works as Artistic Director and choreographer. In the group he created the works: Eleva teus olhos e Caminha (2010/2011) and Até onde você vai quando anoitece? (2006-2008), both of which received the FICC Prize (Fundo de Investimentos Culturais de Campinas) in 2006 and 2009. Also at Packer Cia de Dança produced the works Mel, açúcar e limão! (2008) e Eu (2011). At Packer Cia de Dança, he is dedicated to research and creation in contemporary dance, acting as a dancer, choreographer and artistic director of the company. Together with the company’s cast seeks new forms of expression and reflection within contemporary dance and the development of an identity for the group. He currently works as a jazz and contemporary dance teacher, dancer and choreographer for this and other dance centres in the Campinas region.

Duration: 4’24’’

/

Realização: Diogo Angeli
Intérprete Criador: Klisman Rodrigues (7K Buck)
Fotografia: Diogo Angeli e Jurssa Santos
Captação Imagens: Jurssa Santos e Diogo Angeli>
Edição: Diogo Angeli
Música: The end & Let´s gp M.. F.- Beat Maker MK Buck
Apoio Técnico: Ana Cristina Ribeiro, Ricardo Cardoso, William Bispo, Renan Augusto, Wagner Silva
Produção: Cia Eclipse Cultura e Arte
Apoio Cultural: Coordenadoria Setorial do FICC, Secretaria Municipal de Cultura de Campinas, Prefeitura Municipal de Campinas

Vídeodança do Projeto Côncavo e Convexo que homenageia a vida e obra do Maestro Carlos Gomes refletindo sobre as questões do corpo negro e o paradoxo clássico-popular.

A Cia. Eclipse Cultura e Arte, criada em 2002 na cidade de Campinas-SP, tem sido premiada nacional e internacionalmente. Hoje realiza pesquisas artísticas e culturais para criação de peças artísticas, espetáculos, performances, intervenções e cursos. Por meio dos diferentes estilos de danças urbanas ligadas a Cultura Hip Hop – nossa especialidade – enriquecidos com técnicas de dança-teatro, ginástica acrobática, circo, entre outras linguagens que contribuem com o projeto proposto.

No ano de 2018 circulamos em diferentes cidades do interior paulista o espetáculo Côncavo e Convexo e fomos premiados no edital Proac para montagem do novo trabalho intitulado Ópera dos Três Vinténs inspirado na obra de Bertolt Brecht.

Em 2017 circulamos em diferentes cidades do interior paulista a intervenção 3 ao Quadrado pelo Circuito SESC de Artes, e participamos da Bienal SESC de Dança em Campinas-SP com ponto de encontro ‘Soul Urbano’. Na Rede SESI já participamos de editais locais com diferentes trabalhos, do projeto SESI Arte Educação com o espetáculo ‘Dança de Rua e suas faces’ e na viagem teatral com espetáculo ‘Impermanência’.

A companhia foi atração artística, através da FUNARTE e Ministério da Cultura, na Copa do Mundo no Brasil (2014) em Salvador-BA com o espetáculo ‘Dança de Rua e suas faces’ e nas Olimpíadas do Rio (2016), Rio de Janeiro-RJ, com o espetáculo ‘Impermanência’ e organizando também uma edição especial do festival de dança urbana ‘Battle Brazil’ nos jogos olímpicos.

Desde 1999, a companhia organiza o ‘Campinas Street Dance Festival’, não-competitivo, atualmente presente no calendário municipal da cidade de Campinas-SP. O festival teve desdobramentos criando o ‘Fórum da Dança Urbana’ e sua ramificação competitiva ‘Battle Brazil’. Em 2007 iniciamos a parceria com a ‘Battle Of The Year Worldwide’ o mais tradicional e relevante encontro de Breaking do mundo, com sede na Alemanha, com uma rede de contatos mundiais na cena B.Boying/BGirling na qual estamos imersos.

Na produção de conteúdos artísticos-culturais, a companhia lançou o livro ‘Dança de Rua’ pela editora Átomo, um dos principais do gênero no país. Já realizou intercâmbios artístico-culturais-educacionais com a “New York University” e “Columbia University” em New York (EUA). E no momento apoia e participa diretamente das pesquisas de doutorado de um dos seus diretores, no Instituto de Artes da Unicamp.

Diogo Angeli, formou-se em Dança pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP no ano de 2004. Em 2005 trabalhou como bailarino criador na Cia de Dança Lina Penteado (2005) contribuindo na criação do espetáculo “A casa da Mão Joana” que circulou pela cidade de Campinas e região no ano de 2005. No final de 2005 ingressou na Packer Cia de dança, onde trabalha até hoje como Diretor Artístico e coreógrafo. No grupo criou os trabalhos: “Eleva teus olhos e Caminha” (2010/2011) e “Até onde você vai quando anoitece?” (2006-2008), ambos contemplados com o prêmio FICC (Fundo de Investimentos Culturais de Campinas) de 2006 e 2009. Também na Packer Cia de Dança produziu os trabalhos “Mel, açúcar e limão! (2008) e “Eu” (2011). Na Packer Cia de Dança, dedica-se à pesquisa e criação em dança contemporânea, atuando como bailarino, coreógrafo e diretor artístico da companhia. Junto com o elenco da companhia busca novas formas de expressão e reflexão dentro da dança contemporânea e o desenvolvimento de uma identidade para o grupo. Atualmente atua como professor de jazz e contemporâneo, bailarino e coreógrafo neste, e em outros centros de dança na região de Campinas.

Duração: 4’24’’

photo/foto Artcasepic Visual Production
Escape yourself
Scaryfaceeez crew / Artcasepic Visual Production |RU|

Choreography: Scaryfaceez crew
Video Direction: Artcase Pictures 

Musical clip for ScaryFaceez crew, multiple winners of national dance championships, from Saint-Petersburg. Inspired by the music of british composer and singer Sampha – Blood on me.

Artcase Pictures is a creative visual production company. Based in Paris and Saint-Petersburg. Shooting worldwide. More information on instagram @artcasepic

www.eclipse.art.br 

Duration: 4’24’’

/

Coreografia: Scaryfaceeez crew
Realização: Artcasepic visual production

Clipe musical realizado para a equipe ScaryFaceez de São Petersburgo, vencedora de vários campeonatos nacionais de dança. Inspirado na música do compositor e cantor britânico Sampha – Blood on me.

A Artcase Pictures é uma companhia criativa de produção visual, baseada em Paris e São Petersburgo. Filmam por todo o mundo. Mais informações no instagram @artcasepic

www.eclipse.art.br 

Duração: 4’24’’

photo/foto Veronica Liuzzi
Lieve
Veronica Liuzzi |IT|

Concept, Performance and Scenography: Veronica Liuzzi

Lieve is a digital performance produced by Veronica Liuzzi. It is a work with variable length and form. Lieve (Italian word that means “mild” and latin derivation of yeast) talks about growth and decrease, talks about the life and death. It talks about bread and yeast (yeast makes me think about life, breath and growth), about the waste of food and starvation. 

A performer dance in a digital heart, in a flow of light and in a starvation data stream. The sound consists of the noise emitted by the oscillations of yeast cells. Each acoustic signal corresponds to the moment when somebody in the world is dying of hunger. During the performance (180 seconds), 60 people die of hunger.

Veronica Liuzzi was born in Taranto (Italy) in 1989. She studied at the Academy of Fine Arts in Bari. She is a digital artist, dancer and performer. She works with theater companies for the production of multimedia performances and digital scenographies. She has presented her multimedia dance works in festivals and exhibitions.

Some important exhibitions: 
– Abeliano Danza 2019, Teatro Abeliano, Bari (Italy)
– Festival Terre di Dentro, Teatro Purgatorio, Bari (Italy)
– Anteprima Festival del Pane 2019, Matera, The 2019 European Capital Of Culture (Italy)
– arTVision: a live art channel, Center MARS, Moscow (Russia)
– 16th European Film Festival, Lecce (Italy)

Duration: 3’25’’

/

Ideia, Interpretação e Cenografia: Veronica Liuzzi

Lieve é uma performance digital produzida por Veronica Liuzzi. É um trabalho com duração e forma variáveis. Lieve (palavra italiana que significa “suave” e é uma derivação do latim para levedura) fala sobre o crescimento e a diminuição, fala sobre a vida e a morte. Fala sobre o pão e a levedura (a levedura faz-me pensar sobre a vida, a respiração e o crescimento), sobre o desperdício de alimentos e a fome. 

Um bailarino dança num coração digital, num fluxo de luz e num fluxo de dados sobre a fome. O som consiste no ruído emitido pelas oscilações das células de levedura. Cada sinal acústico corresponde ao momento em que alguém no mundo morre de fome. Durante o espetáculo (180 segundos), 60 pessoas morrem de fome.

Veronica Liuzzi nasceu em Taranto (Itália) em 1989. Estudou na Academia de Belas-Artes em Bari. É uma artista digital, bailarina e intérprete. Trabalha com companhias de teatro para a produção de apresentações multimédia cenografias digitais. Já apresentou os seus trabalhos de dança multimédia em festivais e exposições. 

Algumas apresentações importantes: 
– Abeliano Danza 2019, Teatro Abeliano, Bari (Itália)
– Festival Terre di Dentro, Teatro Purgatorio, Bari (Itália)
– Anteprima Festival del Pane 2019, Matera, Capital Europeia da Cultura 2019 (Itália)
– arTVision: canal de arte ao vivo, Center MARS, Moscovo (Rússia)
– 16.ª edição do Festival de Cinema Europeu, Lecce (Itália)

Duração: 3’25’’

photo/foto Yesika Velasquez
Fuera!
Yesika Velazquez / Luisa Betancur |CO/US|

Choreography: Yesika Velazquez
Video Direction: Luisa Betancur and Yesika Velazquez

How do you escape those who want to bring you down? The critics, your critique, yourself.

Yesika Velazquez is from Medellín, Colombia. Choreographer, teacher and dancer of Street Dance and Contemporary Dance. Her training as an artist began in the group of Modern and Tropical Dance “Strong Dance” (2008-2013) with which she had the opportunity to compete in national and world championships. Student in the Bachelor of Dance at the University of Antioquia. Part of her training has been in academies such as “Millennium Dance Complex”, or “EDGE Performing Arts Center” located in Los Angeles CA (2014-2015). She is currently part of Compañía de Danza Contemporánea H3. As a choreographer, she has worked for “Teatro Musical de Colombia”, “True Dancers Agency”, in tours with artists, promotional videos, music videos, at national and international level. Actress and dancer in musicals, christmas shows, theaters of Medellín and Los Angeles CA, unconventional spaces, fashion shows. She has been a teacher in different academies and cultural projects.

www.luisabetancur.com

Duration: 2’51’’

/

Coreografia: Yesika Velazquez
Realização: Luisa Betancur e Yesika Velazquez

Como escapamos àqueles que nos querem derrubar? Aos críticos, à autocrítica, a nós mesmos…

Yesika Velazquez é de Medellín, Colômbia. Coreógrafa, Professora e Bailarina de Street Dance e Dança Contemporânea. A sua formação como Artista teve início no grupo de dança moderno e tropical “Strong Dance” (2008-2013) com o qual teve a oportunidade de competir em concursos nacionais e mundiais. Tirou Licenciatura Básica em Dança na Universidade de Antioquia. Parte da sua formação foi realizada em academias como “Millenium Dance Complex” e “EDGE Performing Arts Center” localizado em Los Angeles, CA (2014 -2015). Atualmente faz parte da Compañía de Danza Contemporánea H3. Como coreógrafa, trabalhou para Teatro Musical de Colombia e “True Dancers Agency”, e fez digressões com artistas, vídeos promocionais, vídeos musicais, a nível nacional e internacional. Como Atriz e Bailarina em musicais, espetáculos de natal, teatros de Medellín e Los Angeles, espaços não convencionais e eventos de moda. Tem lecionado em várias Academias e projetos culturais.

www.luisabetancur.com

Duração: 2’51’’

photo/foto Dario Discanno
I Have a Dream
Vito Alfarano |IT|

Choreography and Video Direction: Vito Alfarano
Music: Mirko Lodedo
Dancers: Tourè Lanfia, Alpha Bah, Samuel Adel, Emmanuel David, Lamine Soure, Mohammed and Mike Eghe
Production: AlphaZTL Compagnia d’Arte Dinamica

With the financial support of Auxilium Soc. Coop. Soc.

Under the patronage of Amnesty International Italy

This video dance is inspired by the principles of Martin Luther King who had a dream: that all men could be equal and that people should not be judged by the color of the skin but by the content of their personality. The dream has not yet been accomplished: so much still needs to be done to accept the other, the different, the refugee, the one fleeing from misery, the civil war to arrive after so many sacrifices and so much pain on our lands considered as a new opportunity for live. The dream of these men and women with their children is a new life in a world where they are not yet fully accepted.

Years later we realize how these words can be current today because this dream has not yet been accomplished and we are experiencing it in the first person with the problem of immigration.

The performance tells the journey experienced by immigrants and all the difficulties encountered: thirst, hunger, torture, death and hope.

Vito Alfarano, Brindisi 15.01.1978. He started his career as a freelance dancer working with various choreographers. He created choreographies for dance companies and festivals: Fabula Saltica, SIDance (Seoul International dance festival), Biennale danza in Venice, KoDance. With his choreographies he won first prizes in international competitions. He is the director of AlphaZTL Company of Dynamic Art based in Brindisi (Italy) deals of contemporary dance, video art and publishing working also with prisoners, immigrants, psychiatric detention patients, deaf people, and with Down Syndrome. As video dance director, his videos are selected and screened in over 35 world festivals receiving a special mention from the former President of the Italian Republic Giorgio Napolitano.

www.alphaztl.com 

Duration: 10′

/

Coreografia e Realização: Vito Alfarano
Música: Mirko Lodedo
Bailarinos: Tourè Lanfia, Alpha Bah, Samuel Adel, Emmanuel David, Lamine Soure, Mohammed e Mike Eghe
Produção: AlphaZTL Compagnia d’Arte Dinamica

Com o apoio financeiro da Auxilium Soc. Coop. Soc.

Com o patrocínio da Amnistia Internacional Itália

O videodança é inspirado pelos princípios de Martin Luther King, que tinha um sonho: que todos os homens fossem iguais e que as pessoas não fossem julgadas pela cor da sua pele, mas pelo seu caráter. O sonho ainda não foi concretizado: muito há ainda a fazer para aceitar o outro, o diferente, o refugiado, aquele que foge da miséria, da guerra civil para chegar, depois de tantos sacrifícios e tanta dor, às nossas terras consideradas como uma nova oportunidade para viver. O sonho destes homens e destas mulheres com os seus filhos é uma vida nova num mundo onde eles ainda não são totalmente aceites.

Anos mais tarde percebemos como aquelas palavras podem ser atuais, porque esse sonho ainda não foi concretizado e estamos a vivê-lo na primeira pessoa com o problema da imigração.

A peça narra o caminho percorrido por imigrantes e todas as dificuldades encontradas: sede, fome, tortura, morte e esperança.

Vito Alfarano, Brindisi 15.01.1978. Vito Alfarano iniciou a sua carreira como bailarino freelance e trabalhou com vários coreógrafos. Criou coreografias para companhias de dança e festivais: Fabula Saltica, SIDance (Festival Internacional de Dança de Seul), Biennale danza em Veneza, KoDance. As suas coreografias ganharam o primeiro prémio em concursos internacionais. É o diretor da companhia de dança “AlphaZTL Company of Dynamic Art” em Brindisi (Itália). Trabalha com dança contemporânea, videoarte e publicação, incluindo com presos, imigrantes, doentes psiquiátricos internados, surdos e portadores de Síndrome de Down. Como realizador de videodança, os seus vídeos já foram selecionados e exibidos em mais de 35 festivais em todo o mundo, recebendo uma menção especial do ex-Presidente da República Italiana Giorgio Napolitano.

www.alphaztl.com 

Duração: 10′

photo/foto Liudmila Komrakova
The Stop
Maria Marinova-Vasilieva / Anton Popichenko / Liudmila Komrakova |RU|

Choreography: Maria Marinova-Vasilieva and Anton Popichenko
Video Direction: Komrakova Liudmila

A girl who had a dispute with a respectable man in a car leaves him. At the bus stop she meets a young man and fell in love with him. The man in a car comes back. 

Our short dance film is about love. Moreover: it is the film about love at first sight. The casual meeting of two lonely people at the bus stop unexpectedly generates great feeling in their hearts. They plunge into it and do not notice the events around. For them the cold and a rain become unimportant. The ambiguity of the situation till the end helps to keep attention of the spectators. The story solution helps the audience to look at the film at the new point of view. It is not just the movie about love at first sight but also about relationship of children and parents. 

The rain and music for us are indissoluble. They go in parallel going stronger and calming down. The stop unexpectedly becomes a gate to the other world in which miracles may happen. Participation in our dancing movie by the drama actor Nikolay Burov helps to make the movie more vital and reliable. Young lady is presented by Maria Marinova-Vasilieva who is absolute Champion of Russia, ViceChampion of Europe, finalist of World Champion in Tango Argentina. Anton Popichenko as young man is twice Champion of Russia in Milonga, several times finalist of Europe, finalist of Mundial in Tango Argentina, winner of Blackpool Dance Festival, awarded by Aysedora Duncan prize. 

Liudmila Komrakova is a self-taught director whose work has been received with great success in several international film and video festivals. Her first work, “Taste of Night”, won the prize for “Best Horror Video” do L.A. Music Video Awards, was selected for the World Cup 2018 of Dance Video from the Saint-Petersburg International Film Festival and won the Award for The Best Musical Video in the III Caribbean Sea International Film Festival. The biggest part of the team are not professional filmmakers, but the operator has education in the field. All the staff works for the idea and the biggest part of the expenses goes to the video equipment.

In 2019 Komrakova Liudmila won “Best Dance Video” from L.A. Music Video Awards for her video “The Return”

Duration: 4’57’’

/

Coreografia: Maria Marinova-Vasilieva e Anton Popichenko
Realização: Komrakova Liudmila

Uma rapariga que discutiu com um homem respeitável num carro, deixa-o. Na paragem de autocarro conhece um jovem e enamora-se dele. O homem do carro volta. 

A nossa curta-metragem de dança é sobre o amor. Mais ainda: é um filme sobre amor à primeira vista. O encontro casual de duas pessoas solitárias na paragem de autocarro gera inesperadamente um sentimento intenso nos seus corações. Mergulham nele e não se apercebem dos acontecimentos à sua volta. Para eles, o frio e a chuva tornam-se irrelevantes. A ambiguidade da situação até o fim ajuda a manter a atenção dos espetadores. A solução da história ajuda o público a ver o filme pelo novo ponto de vista. Não é só um filme sobre amor à primeira vista, mas também sobre a relação entre pais e filhos. 

A chuva e a música para nós são indissolúveis. Decorrem em paralelo, ficando mais fortes e acalmando. A paragem torna-se inesperadamente um portal para o outro mundo no qual os milagres podem acontecer. A participação no nosso filme de dança do ator dramático Nikolay Burov ajuda a tornar o filme mais crucial e fiável. A jovem é representada por Maria Marinova-Vasilieva que é Campeã da Rússia, Vice-campeã da Europa, finalista do Campeonato Mundial de Tango na Argentina. Anton Popichenko no papel do jovem homem é Bi-campeão da Rússia em Milonga, várias vezes finalista da Europa, finalista Mundial de Tango na Argentina, vencedor do Blackpool Dance Festival, distinguido com o prémio Aysedora Duncan. 

Liudmila Komrakova é uma autodidata na realização, mas cujo trabalho tem sido recebido com grande sucesso em vários festivais internacionais de filme e vídeo. O seu primeiro trabalho, “Taste of Night”, ganhou o prémio “Best Horror Video” do L.A. Music Video Awards, foi selecionado para o World Cup 2018 of Dance Video do Saint-Petersburg International Film Festival e foi distinguido com o prémio de Melhor Vídeo Musical no III Caribean Sea International Film Festival. A maioria dos elementos da equipa não são realizadores profissionais, mas o operador tem formação na área. Toda a equipa trabalha e contribui para a ideia e a maioria das despesas são com a aquisição de equipamento de vídeo.

Em 2019, Komrakova Liudmila ganhou “Best Dance Video” no L.A. Music Video Awards pelo seu vídeo “The Return”

Duração: 4’57’’

Sérgio Bordalo e Sá has a degree in Communication Sciences from FCSH at the Universidade Nova de Lisboa, a master’s degree in Film Studies from The University of Iowa and a PhD in Film and Audiovisual Studies from the Faculdade de Letras da Ulisboa. He currently works as a research fellow at INET-md, a pole of FMH – ULisboa, in the study of the relationship between cinema and dance.

/

Sérgio Bordalo e Sá é licenciado em Ciências da Comunicação pela FCSH da Universidade Nova de Lisboa, tem um mestrado em Film Studies pela The University of Iowa e um doutoramento em Estudos do Cinema e Audiovisual pela Faculdade de Letras da Ulisboa. Presentemente trabalha como bolseiro de investigação no INET-md, pólo da FMH – ULisboa, no estudo da relação entre cinema e dança.

Total duration: 50′
Free access except October 10th session, *reserved for E.S.D. students

/

Duração total: 50′
Livre acesso, exceto sessão de dia 10 de outubro, *reservada a estudantes da E.S.D.